O que é que eu vou fazer com essa tal liberdade?

Escrita é inspiração pura. Sempre afirmo que eu não sou uma pessoa criativa – e não sou mesmo, mas, mesmo assim, preciso do combo de inspiração + criatividade para conseguir escrever.

Falando assim até pareço a poetisa, né (risos). Mas, quando se tem um blog que compartilha histórias e sentimentos, é preciso estar em paz com essas histórias e esses sentimentos. Eu poderia dizer aqui que fiquei três meses sem escrever no blog porque estava sem tempo, trabalhando demais. Sim, eu até estava, mas a verdade é que me faltava vontade e liberdade.

essa tal liberdade 1

Liberdade. O assunto que eu decidi trazer aqui para retomar os posts é justamente esse. Porque, nos últimos meses, nas minhas buscas por crescer e ser uma pessoa melhor, tenho aprendido muita coisa sobre liberdade.

Dentre as coisas que aprendi é que eu nada sabia sobre ela. Ou, pelo menos, o que sabia estava um pouco torto. Liberdade não é ser independente, solteiro ou solto no mundo. Sim, a sociedade insiste em nos passar essa imagem errônea, principalmente essa ideia de que quando uma pessoa fica solteira ela finalmente fica livre. Quem foi que disse que não dá para estar em um relacionamento ao mesmo tempo em que se tem liberdade?

É claro, não há como negar que uma pessoa encarcerada, por exemplo, foi privada de sua liberdade. Mas não é o caso da maioria das pessoas que andam aparentemente livres por aí.

Sim, aparentemente. É o que eu tenho descoberto. Quanto mais livre eu estive, no sentido de voar as tranças ao mundo mesmo, mais presa eu me sentia e, de fato, estava. Foram longos meses (talvez até uma longa vida?) até eu entender que a liberdade precisa vir de dentro. A liberdade precisa morar nos nossos pensamentos, no nosso coração, e não apenas no sentido físico da coisa.

essa tal liberdade 2

Eu acho que hoje, finalmente, eu estou experienciando a tal liberdade. A liberdade de me respeitar. A liberdade dos meus desejos. A liberdade do meu silêncio. A liberdade de me amar. A liberdade de ser quem a minha essência manda ser. A liberdade dos meus sentimentos. A liberdade dos meus traumas. A liberdade dos meus medos. A liberdade de querer me sentir presa, se assim for a minha vontade.

O autoconhecimento tem me libertado e agora sinto que posso voltar até mesmo a escrever. Já aproveito para avisar que os olhos livres me mostraram que posso escrever sobre o que eu bem entender aqui, mesmo que algumas pessoas esperem que eu faça posts sobre viagem e tudo mais.

Quem quiser dirigir por essa estrada comigo, seja bem-vindo.

But upon an unfortunate series of events
Saw those dreams
And divided like a millions stars in the night sky
That I wished on over and over again – sparkling and broken.

But I didn’t really mind because I knew that it takes getting everything you ever wanted and then losing it to know what true freedom is.

Live fast. Die young.
Be wild, and have fun.

Who are you?
Are you in touch with all your darkest fantasies?
Have you created a life for yourself where you’re free to experience them?
I have! I am fucking crazy, but I am free!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s