Os 9 maiores erros de um viajante principiante

Eu nunca havia viajado para tão longe de casa, nem por tanto tempo e, mais tenso do que isso, nunca havia viajado sozinha. Foi então que essa viagem me ensinou um monte de coisas e, como é normal da vida, me ensinou através de erros. Hoje então eu decidi listar os 9 maiores erros de uma viajante principiante.

1 – Levar muita bagagem

Quando comecei a pensar em arrumar as malas a ideia era levar um mochilão e uma mala de rodinhas média. Aí quando comecei a pensar nas roupas de frio a mala média virou mala grande – e muito também por incentivo da minha mãe que insistiu que eu estava levando pouca roupa – e ainda levei uma mochila com notebook e afins, já que eu precisava trabalhar.

Só posso dizer que me arrependi de cada um dos 43 quilos que eu tinha que carregar a cada vez que trocava de hostel – leia-se a cada três dias.

O assunto bagagem é bem pesado – hahaha desculpem eu precisava fazer esse trocadilho – e rendeu vários causos, prometo contá-los em um post específico.

2 – Querer organizar tudo com muita antecedência

Dizem que, quanto mais cedo você faz reservas de hostels e passagens, por exemplo, mais você vai economizar. Mas, quando você não tem um roteiro super alinhado e possui liberdade para definir as coisas como bem entender, toda essa antecedência pode te fazer perder dinheiro ou ficar chateado com as suas decisões precipitadas.

Numa viagem tudo pode acontecer, então não defina em um dia todos os seus passos para os próximos dois meses. A flexibilidade pode te trazer oportunidades muito mais interessantes e com menor custo.

3 – Comprar coisas por impulso

Eu, menina do interior e deslumbrada com a primeira cidade no Reino Unido, saí comprando lembrancinhas pra todo mundo sem pensar que teria que carregar tudo aquilo durante seis meses.

Ainda bem que resolvi voltar antes, porque se tivesse tocado a viagem até agosto, neste momento eu estaria me desfazendo das minhas roupas para poder levar pra casa os presentes que comprei para a família e os amigos.

Ah, nem preciso dizer que não dá para sair comprando souvenir na primeira loja que avistar ao lado do principal ponto turístico da cidade, né? Nesse erro pelo menos eu não caí, hehe.

4 – Ficar dependendo de Internet

Talvez você ache que é impossível não depender de 3G ou wi-fi, porque hoje em dia fazemos tudo pelo celular, né. Mas, assim, por garantia, tenha tudo que precisa já de cabeça ou anotado em papel – ou mesmo no bloco de notas do celular, contanto que não precise de internet.

Antes de chegar em um local, tenha uma boa noção de onde ficam as coisas e providencie logo um mapa físico. Sim, o Google Maps é maravilhoso, mas nem sempre ele vai funcionar e pode acabar mais te confundindo do que ajudando.

Não precisa imprimir todas as reservas e pesquisas de pontos turísticos, mas tenha pelo menos os números essenciais anotados em algum lugar seguro, ok?

5 – Levar várias opções de uma mesma peça

Tirando as calcinhas/cuecas e meias que não ocupam muito espaço, não leve 10 opções de camisetas, mais 5 calças jeans quase idênticas e 4 pares de tênis. Acredite, é bem provável que você não vai usar tudo.

Primeiro porque, como aconteceu comigo, eu tinha tanta mala que não tinha paciência de procurar determinada pela e acabava usando sempre as mesmas. Segundo que, viajar cansa e você não vai tirar uma hora do dia para produzir um look impecável para bater perna um dia inteiro.

E nem pense em se importar se em todas as suas fotos você estiver com o mesmo casaco. Acredite, ninguém vai nem perceber isso – e se perceberem não vai fazer diferença nenhuma na sua vida – e suas costas vão agradecer por não carregar tanto peso.

6 – Não abrir mão das suas manias e hábitos

Ao viajar você precisa abrir mão da sua rotina e das suas manias. Por exemplo, levei vários produtos de beleza que nem cheguei a tocar porque, sinceramente, a última coisa que me importava durante a viagem era se minha pele estava hidratada ou não.

E aquela mania de comer de três em três horas ou de beber 2 litros de água por dia, então, nem se fala. Quando eu comia três vezes ao dia já era uma benção, então nem me dei conta de que não estava me alimentando como antigamente. Imagina se eu fosse levar essa mania adiante? Teria que parar toda hora pra comprar algo ou então teria que sair de manhã com a mochila forrada de comida, hahaha.

7 – Não se libertar

Eu sou uma pessoa bastante travada, não chego a ser tímida, mas sou bem na minha. Mas durante a viagem me libertei bastante e a dica que eu dou é: ninguém ali te conhece, dificilmente alguém ali vai falar a sua língua (esqueça isso apenas em Dublin, claro), então não tenha vergonha de nada!

Não tenha medo de falar com estranhos, de parecer ridículo ou qualquer coisa do tipo. Se faltar coragem, procure um italiano e observe-o por dois minutos. Eles falam alto, gesticulam e não estão nem aí se estão chamando atenção da cidade toda.

Saia da sua zona de conforto, fale com estranhos (sua mãe não vai ficar sabendo), experimente comidas inusitadas, beba a cerveja que todo mundo está bebendo e saia para um pub sozinho. Faça tudo o que tiver vontade – só não beba na rua em lugares como o Reino Unido pois você será preso.

8 – Esquecer itens básicos

A quantidade de gente que vi em hostel sem cadeado para guardar suas coisas no locker ou sem adaptador de tomada é incrível. Então, por favor, leia muitos blogs antes de fazer a mala e não esqueça de coisas essenciais como essas.

Não é o fim do mundo se você esquecer algo, mas prepare-se para pagar um preço absurdo nas recepções espertas de hostel que cobram TU-DO.

dublin em fotos 36

9 – Não experimentar de tudo um pouco

Este tópico é meio relacionado a se libertar e também a abrir mão de velhos hábitos. Na minha viagem, eu preferia fazer tudo a pé porque era mais fácil me virar com o mapa do que com linhas de ônibus. Era um medo que eu tinha. Até o dia em que eu me desafiei e, no fim das contas, tive ótimas experiências com ônibus de dois andares, trens, metrôs, bondinhos, táxis, Ubers e até com ferry.

Se me perdi? Claro que sim, várias vezes. Mas despertei um pouco de coragem em mim e fiquei mais esperta para os dias seguintes.

Então, se estiver na dúvida de qual cerveja beber, beba vários tipos – e pelo amor de Deus não me venha pedir Heineken quando você está no país da Guiness. Não tem desculpa, até eu que não gosto de cevada experimentei, ok?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s